União Europeia Envia Carta Aberta para Paquistão Demandando o Fim da Perseguição



Mais de 50 membros do Parlamento Europeu assinaram uma carta aberta ao Primeiro Ministro do Paquistão Imran Khan pedindo o fim da perseguição a minorias religiosas no país. Na carta os parlamentares alertam que se a situação das minorias religiosas no país não melhorar, então o Paquistão pode perder subsídios e preferência comerciais oferecidos pela União Europeia.

Na carta aberta também é afirmado que hoje o país está longe de ser o que Muhammad Ali Jinnah, -considerado o pai fundador do Paquistão - planejou. E que Jinnah sempre insistiu que o Paquistão seria um Estado de maioria mulçumana, mas que trataria igualmente cristãos, hindus, siques, budistas como também pessoas de outras religiões.

A carta também afirma que "nas ultimas sete décadas, sucessivos governos no Paquistão contribuíram para a implementação de um sistema discriminatório no qual resultou em uma perseguição política, social e econômica a minorias religiosas, no qual encorajou atos de violência promovidos por grupos Islâmicos radicais.”

Cristãos são duramente discriminados no Paquistão. Nos últimos anos bairros cristãos e igrejas vêem sendo regularmente atacados por extremistas. Acusações e conversões forçadas ao Islamismo continuam ocorrendo no país, colaborando para que cristãos sejam vistos como “cidadãos impuros” pela sociedade em geral. Atualmente o Paquistão é considerado pelo Portas Abertas o quinto país que mais persegue cristãos no mundo.

Mais informações em:

Comentários