Ativistas clamam por liberdade religiosa na Coréia do Norte


Todos os cristãos no país são considerados inimigos do estado.

Uma Coalizão Internacional por Liberdade Religiosa foi lançada na Coréia do Norte no mês de junho, que tem como meta introduzir e alimentar a liberdade na Coréia do Norte. A coalizão atualmente está composta por cerca de 200 ativistas, incluindo Thae Yong-ho, que é um norte coreano que atualmente reside em Londres, após sua fuga para a Coréia do Sul em 2016 e um missionário cristão que ficou preso dois anos na Coréia do Norte.

Thae pede para os lideres da Coréia do Norte para considerarem construir uma ou duas igrejas como uma demonstração de que o país está se abrindo para liberdade religiosa.

A Coréia do Norte é considerada o país que mais persegue cristãos no mundo. É estimado que exista no país entre 200,000 e 400,000 cristãos. Todos os cristãos são considerados inimigos do estado, por acreditar existir uma autoridade maior que a família Kim na qual atualmente tem como maior figura o ditador Kim Jong-un.

Comentários